Demo text box

É um espaço aberto aos amantes e praticantes do desenho de observação, nascidos ou residentes na Região Autónoma da Madeira, que queiram partilhar os desenhos/sketches que realizam em folhas, blocos, cadernos de viagens, ou em diários gráficos.

terça-feira, 15 de março de 2016

Durante...

...actividades alheias.
Filipa Aguilar a dar treino personalizado na Junta de Freguesia de São Gonçalo. 2016
Esferográfica sobre papel 7x10,5cm

Esferográfica sobre papel 7x10cm

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Kitchen Alive-Rota das Estrelas











Foram convidados três elementos do USP-M a estarem presentes  no  evento Kitchen Alive, realizado no dia 13 de Março,no Hotel Clif Bay, integrado na ROTA DAS ESTRELAS.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Procura a tua centelha

Seja na lavandaria de self-service, ou num encontro com tias aborrecidas, ou porque não enquanto os seus alunos fazem um teste (caso seja docente).
Aliar actividades é o mesmo que matar dois coelhos com uma cajadada só, e uma delas pode funcionar como ignição da outra, ou para dissipar a atenção se se preferir ;-)
Wasserpark Floridsdorf
granite sobre paper A5

Lavandaria self-service Green Clean
grafite e marcadores sobre papel A5

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O perfeccionista

Isto deveria ser objecto de reflexão para aqueles perfeccionistas enigmáticos incapazes de aprender através de cada momento que se vive. O seguinte trecho maravilhou-me com o descascar do tipo de atitude perfeccionista que realmente pode prejudicar o nosso trabalho, a nossa liberdade de ser, a capacidade de aprender, e qualquer possibilidade de encontrar satisfação em cada dia.

De Samantha Groenestyn, The Duchess:
"(...) Naquele bradar de lamentos, terminando com o repulsivo 'Eu sou um perfeccionista!',  é daquelas desculpas virtuosas por não completar um trabalho, ou na sua falta, mesmo de começar, por achar não poder colocar outras coisas de parte e passar ao que se segue. Devo lembrar que o perfeccionismo pode ser desastroso porque começa com o final, e injustamente, esse produto final é pesado como tendo mais valor que o processo em lá chegar. Não querendo afirmar com isto que o resultado de um trabalho seja irrelevante, dado que por último, a nossa aspiração é de contribuir no melhor das nossas habilidades com feitos que suscitem prazer e que façam história. Mas o artista deverá levar tanto o fim como os meios em conta. Em segundo lugar, devo dizer que, se for pra se dar algum mérito ao perfeccionismo, que seja uma busca privada no pensamento e nos métodos de trabalho. Pois deveremos ser capazes de avaliar o nosso ofício numa implacável auto-reflexão a fim de melhorar em vez de ficar preso e paralisado com uma série de auto críticas. Não me parece que esta atitude deva tão pouco ser divulgada num pedinchar pela validação dos outros. (...) Aprender a arte é um acto físico; prende-se ao construir e não ao teorizar. Essa perspectiva do acabado, polido, perfeito, pode inibir a exploração, o correr riscos, e mesmo quebrar o hábito regular de simplesmente desenhar. (...)"
2014, com esferográficas.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014