Demo text box

É um espaço aberto aos amantes e praticantes do desenho de observação, nascidos ou residentes na Região Autónoma da Madeira, que queiram partilhar os desenhos/sketches que realizam em folhas, blocos, cadernos de viagens, ou em diários gráficos.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

4 de fevereiro de 2017, Quinta do Revoredo, Casa da Cultura de Santa Cruz.

Miguel Ângelo | grafite sobre papel.



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

XVIII Encontro - Quinta do Revoredo - Sta Cruz.
Urban sketchers madeira

 
































Foi um encontro interessante e revigorante.
Até breve.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

XVIII Encontro

O XVIII Encontro realizou-se sábado, 04/02/17, na Casa da Cultura de Santa Cruz, Quinta do Revoredo, incluído num encontro de desenho, em que participaram, além dos Urbans Sketchers, os alunos do Atelier de Alexandra Carvalho, artista que tem uma exposição (a não perder) patente neste mesmo espaço


































terça-feira, 27 de setembro de 2016

(a) Riscar o Património

No âmbito da iniciativa (a)Riscar o Património da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), encontro de património que se realiza todos os anos integrado nas Jornadas Europeias do Património (JEP), e sob o tema “Comunidades e Culturas”, a região da Madeira vem, mais uma vez, associou-se ao evento.
Tendo em conta o tema desta 3.ª edição do (a)Riscar, a escolha recaiu sobre o Café Relógio, centro preferencial da produção e venda de artesanato do Vime, na Camacha.
As obras de verga eram exportadas principalmente para os mercados de Portugal Continental, de Inglaterra, de Itália e dos Estados Unidos da América. Esta indústria, que teve a sua época áurea entre a segunda metade do séc. XIX e a segunda metade do séc. XX, acabou por sucumbir face à concorrência de outros países com mão-de-obra mais barata, de menos qualidade e que utiliza materiais sintéticos.
Hoje a produção é residual e destina-se ao mercado insular para turistas e locais, continuando a Camacha a ser, o bastião desta produção que se tornou o seu símbolo.
O icónico edifício do Café Relógio apresenta uma torre mandada construir, nos finais do séc. XIX, pelo inglês Dr. Michael Grabham, na sua quinta de veraneio na Camacha, com o objectivo de albergar um relógio e um sino que foram trazidos de uma igreja de Liverpool.
Nos anos 60 do Séc. XX junto à torre foi um construído um restaurante/bar e um centro de fabrico e exposição da arte do vime, artesanato tão característico desta localidade, tornado-se um local de passagem obrigatória na rota do turismo regional.
FOI ASSIM O NOSSO PROGRAMA
10h30 – Encontro no Largo da Achada – Camacha
11h00 – Visita à Fábrica da Arema (Sociedade Exportadora de Artigos Regionais da Madeira) – antiga Quinta da Arema
13h00 – Almoço no Restaurante Café do Relógio
14h30 – Encontro no Largo da Achada – Camacha
15h00 – Visita à Loja e Fábrica de Vimes Café Relógio
17h00 – Encerramento
Um agradecimento muito especial aos responsáveis do Café Relógio e à nossa anfitriã Lucilina Freitas